quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Isto vai lá

Agora que tenho criado este meu cantinho, sinto-me sem coragem para lhe escrever. Como, numa casa nova, e as suas paredes brancas, ou de uma qualquer outra cor, mas que nos dá essa sensação de espaço em branco,onde temos medo de pendurar um quadro. Por não termos a certeza se as suas cores serão as que irão condizer com o resto da casa, por ter medo de furar, definitivamente, a superficie lisa, não estando seguros se o sitio é o mais correcto. Como numa nova relação, em que não sabemos ainda que limites vamos impor, ou sequer se os vamos impor.
Porque cada palavra irá definir a imagem e ainda não sabemos bem que imagem queremos para além daquela ali em cima, em que as sombras das letras nos mostram uma outra forma e o lençol preto as suas rugas.
Isto vai lá, porque em cada junção de palavras iremos encontrar mil e uma formas, à imagem de quem a lê e a essa outra imagem de quem a escreve.
Isto vai lá, enquanto escrever assim, o que penso agora, o que quero amanhã.
Isto vai lá, quando vier a coragem e começar a ver a casa cheia, com cada um dos seus moveis, as suas cores e todas as suas conjuções.
Isto vai lá.