terça-feira, 30 de novembro de 2010

O meu "eu" irlandes


O meu "eu" irlandes e muito diferente do meu "eu" portugues.
Dizem que e comum, que as pessoas se descobrem a si mesmas fora da sua zona de conforto.
Eu nao sei, acho que sao as condicionantes que me transformam e que se voltar ja amanha ou so daqui a um ano, volto outra vez.
A maior diferenca entre sete meus dois "eus" e a lamechice. Aqui sou muito mais lamechas. Choro a ler uma carta escrita ao pai Natal, choro quando alguns me telefonan. Aqueles que ha um mes atras me ligaram todos os dias, ou, pelo menos, com muita frequencia. Digo coisas mais fofinhas e sinto-as. Muito.
O meu eu irlandes adora sopa. portuguesa, claro esta. Que estas combinacoes dos irlandeses de sopa de cenoura com laranja sao coisa para me deixar um bocadinho enjoada. Mas pelo-me por uma sopinha de feijao. De alho fraces. A lavrador. Caldo-verde. Ahhhh, um caldo verde... Como raio vou fazer isso aqui?
O meu "eu" irlandes e muito mais arrumado. A casa e mais pequenina e a quarta nao vem a Idalina. Entao, deixamos de ter roupa acumulada, a loica e logo lavada, nao espera sequer 5 min e os papeis estao todos agrupados por temas, na prateleira de baixo, da mesa da sala.
O meu "eu" irlandes conduz a esquerda, com gelo ou neve na estrada. Sem medos. Ou melhor, com muito muito medo, mas com um encolher de ombros, bora la que tem mesmo que ser.
O meu "eu" irlandes fica feliz por voltar a viver 3 semanas com os pais, enquanto o meu "eu" portugues fugia de um fim de semana em conjunto.
As minhas prioridades estao diferentes. A forma como sinto as coisas tambem. Sinto-me uma turista, naquela que vai ser a minha casa no medio/longo prazo (ou assim es espera).
Sinto mil e uma coisas, enquanto aprendo outras tantas e me distancio de outras quantas.
E nem sempre me reconheco.

3 comentários:

Anónimo disse...

de vez em quando também descobrimos que pudemos mudar , e se isso nos faz sermos "ainda " melhores pessoas , então porque não ?!

Bjs , adorei o post .

Maria

Sara Rita disse...

pois é, adorei (mais uma vez o teu texto) ... é mesmo isso fora da nossa zona de conforto é quando nos encontramos com o nosso EU !!! e nos cruzamos com diversas formas de ser e estar, que nos surpreendem e nos fazem crescer . . . quando podemos e temos a oportunidade de conhecer a verdadeira felicidade...(éfemera, mas sentida) grande beijinho

Anónimo disse...

Oh meu amor, ate me doeu ler este post. Fuck! Gostei de saber q conduzes melhor mas de resto vejo te mais fragil. Fuck again. E duro e tu es muito corajosa. O meu "eu daqui nao saio" admira o teu eu irlandes. Bbbbb I.