quarta-feira, 24 de novembro de 2010


Ontem mudei-me, finalmente, para aquela que sera a minha casa no medio/longo prazo.
A casa foi-me entregue ontem e eu, ja completamente farta da impessoalidade de um hotel, decidi que me mudaria no proprio dia.
Tirei o dia e quase nao dormi na vespera.
Cheguei a casa e so desejava que o agente imobiliario saisse o mais rapido possivel, para que eu pudesse comecar a por as coisas a minha maneira. Nao podia estar mais contente.
Assim que comecei a arrumar as coisas, deparei-me logo com um contratempo. A vista desarmada tudo estava impecavelmente limpo. Assim que comecei a abrir portas, vi que nao era bem assim. Mas nem isso me demoveu. Va de esfregar frigorico, armarios, etc etc etc, feliz e contente. Foi quando cheguei ao forno que desmoralizei. Nunca na vida aquele forno deve ter sido lavado. Estava simplesmente nojento. E eu, com tanta esfregadela por outras paragens, senti-me sem forcas para aquele cenario. A ma noticia e que tinha comprado para o jantar uma pizza congelada que tinha que meter ali dentro para a tornar comestivel. Na casa ha tachos e panelas, mas eu, armada em esquisitinha, tinha ja decidido nao usar nada daquilo e comprar novos. Mas ontem ainda nao havia novos para ninguem. A ideia ontem era apenas sobreviver. La tive que dar a mao a palmatoria, lavar um dos tachos e fazer esparguete com queijo. O forno, esse, ainda esta cheio de detergente para desincrustar. Esta ali uma maratona.
La jantei o espargute, que estava muito bom, em boa verdade. 8h30 e tava despachadinha. Sem televisao. A minha televisao chega Domingo. Estamos demasiado habituados a estas pequenas coisas, para sabermos viver sem elas. O livro que trouxe ja o li. So me restou a internet para me distrair. E assim estive, ate deitar-me, a fazer refresh em facebook e blogues varios, na esperanca que alguem actualizasse. Alguma coisa interessante, por favor. E que me dure algum tempo, por favor.
Nao foi facil, confesso. Ontem, pela primeira vez, senti-me muito sozinha...

6 comentários:

MRPereira disse...

Como eu te compreendo, Clara! Tem dias que me sinto assim1 E moro onde tu sabes, não a éne mil quilómetros de distância...

Vai correr tudo bem!

Beijo

Mie disse...

Quando nao ha nada de novo nos blogs, navego na net e siu fa do youtube. Podemos ver todos o tipo de programas,talvez seja uma sugestao para quando nao ha nada que te distraia ;)

nils disse...

Clara, não se sinta só. Nós estamos aqui... sozinhos?

Tulipa Negra disse...

Sei perfeitamente o que é isso. Lembro-me de no início só ter rádio, a televisão chegava daí a uns dias e o computador também (nem Internet tinha, portanto!). Felizmente, aqui há uma rádio portuguesa, mas há uma noite por semana em que a programação é em crioulo para a comunidade cabo-verdiana. Sozinha é pouco! Mas garanto que isso passa, são só os primeiros tempos. Só é preciso muita força e coragem. :)
Beijinhos

Anónimo disse...

nunca sozinha, bella amiga, nunca :-)

Anónimo disse...

Usar o telemovel em caso de emergencia e nao so. Bbbbb I.