sábado, 27 de novembro de 2010

Sobrevive-se

Perdem-se os comodismos e ganha-se a distância, mas sobrevive-se.
Não se conhecem as ruas, não se conhece a cidade, perco-me e acho-me, mas sobrevive-se.
Sente-se o frio, veste-se mais um casaco, mais um cachecol, mais uma luvas e sobrevive-se.
Nem sempre se entende a lingua, demora-se a processá-se, enquandra-se num contexto e sobrevive-se.
Não há mulher a dias, não há ajuda com roupa-se, limpa-se, esfrega-se, passa-se a ferro e sobrevive-se.
Não há televisão, não há amigos, liga-se a internet, lê-se um livro.
Perdem-se eventos. O casamento do amigo, a amiga que faz anos. Liga-se o telefone e tenta-se esse abraço, que a distância não permite e sobrevive-se.
Desconhece-se a rotina, instala-se uma nova e sobrevive-se.
Dia após dia, eu sobrevivo. E cada um deles é uma pequena vitória. Mais um. Sobrevivi e melhorei um bocadinho mais. A pouco e pouco, ganhei conforto, criei rotinas, conheci. O mundo e eu própria. E sobrevivi.




2 comentários:

Nokas disse...

Um dia de cada vez...

Kinder disse...

A passo e passo é uma conquista da nossa sobrevivência em outros horizontes longe da familia e amigos....
Mas pensa tornas-te mais forte, mais capaz de qualquer coisa, não sobrevivas apenas, mas vive!!!

Uma mensagem de alguém que passa quase o mesmo que tu XD