segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Ainda nao


Tenho tomado a minha dose de anestesia todos os dias. Vou diminuindo a dose, pouco a pouco, convencida que já dela não necessito. As vezes esqueço-me. Porque as vezes já me esqueço que existes. E, na verdade, muitas dessas vezes não faz falta. E tu não fazes falta.
Ontem doeste-me. A anestesia não era a suficiente, para a violência da tua chegada.
A ferida voltou a abrir um bocadinho. E eu desprotegida, porque já não a esperava. Acreditava na cicatriz que sarava.
E desprotegida continua, porque me esqueci de repor o stock daquilo que me protege.
Hoje ainda dois. Talvez um pouco mais ate. Porque a ferida aqui ficou, de um dia para o outro, ao ar livre. Exposta ao frio e ao vento da tua ausência.
Ainda me dois. Ainda...

1 comentário:

Anónimo disse...

Ainda e provavelmente para sempre mas ja nao todos os dias! Nao sejas demasiado exigente! Bbbb