terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A distância

A distância protege-nos de algumas coisas, mas deixa-nos expostos a outras.
Ontem foi um dia mais dificil.
E nem sempre eu sei explicar o porquê.
Coisas que me afectariam no outro lado, aqui nem me beliscam. Por outro lado, aborrecem-me coisas trivais, como ter-me esquecido da manteiga, quando, aqui, tudo fecha às 6h da tarde.
A minha vida aqui é feita desses triviais. O trabalho e a minha rotina, são o que tenho como objectivo a cada dia.
As emoções estão um pouco mais à flor da pele. Assim, como dizem que podemos viver as 4 estações do ano, aqui (onde é que está o Verão), há dias, como o de ontem, em que eu vivo todos os meus estados de espírito.
Choro com a soap opera pessima que aqui passa, rio-me com uma mensagem dum amigo, concentro-me no trabalho e fico triste com um ou outro pormenor. Como se do fim do mundo se tratasse e, embora de forma involuntária, eu tivesse que viver tudo duma só rajada.

1 comentário:

Margarida disse...

Há dias em que parece que conseguimos viver tudo... com ou sem distância...