quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Impossível










Tenho uma certa predilecção pelas histórias de amores impossiveis.
Uma das histórias que mais me encanta é aquela que nos conta Gabriel Garcia Marquez, no seu "O amor em tempos de cólera". Como se o cúmulo do romântico fosse alguém ter os sintomas da peste só por estar apaixonado.
Acho bonito que alguém passe uma vida à espera. Porque amor há só um. Porque é aquela e mais nenhuma. Mesmo que o final tenha sabor a restos, porque Firmina só cede ao seu Juvenal depois da morte daquele que assumiu como sendo o seu amor. Essa parte não interessa, o romântico é ele, que nunca desiste e espera toda a sua vida por aquele momento.
Da mesma forma, me encantam os amores e desamores do Nils que sonha com uma colega cujo nome desconhece, da mesma forma que abre mão do seu amor deixando-o viver em liberdade.
Talvez me indentifique. Talvez queira apenas acreditar que se existir, é para sempre. Talvez queira acreditar que é altruísta.
Talvez por tudo isto. Talvez por nada disto.
A verdade é que gosto de amores impossíveis.


6 comentários:

nils disse...

E a Clara sempre tão querida. Não se ponha a jeito que ainda leva com uma paixão em cima. eheheheh. Estou a brincar. Também sou fã aqui das suas aventuras no estrangeiro. É sobretudo para quem está distante e não pode ter interesse nenhum na minha vida pessoal que escrevo. Obrigado.

helena disse...

os amores impossiveis - porque os ha - tem tanto de belo como de asfixiante. quem os viveu ou quem os vive bem sabe como doi amar alguem que e seu no coracao, mas nunca vai passar disso.

Anónimo disse...

Bom post , deixaste-me com muita vontade de ler esse livro , eu que sou uma romântica incurável e que tal como tu também gosto deste tipo de histórias sobre amores impossíveis ( normalmente choro sempre no fim ) .

bjs

Maria

k2L disse...

como disse helena, só quem vive sabe a dor e a alegria de sentir esse amor. mas só quem vive, sabe quão intensa são as emoções que afloram de dentro da gente.
gostei de seu blog ^^ bom final de semana pra ti

a_secretaria_executiva disse...

quem não gosta?

Anónimo disse...

A minha teoria sempre foi que nao se deve "subir a montanha" a pensar na "descida". o melhor amor nao e o impossivel. E o actual! Na minha wc tenho uma placa q me inspira tds as manhas: if you don t climb the montain, you can t see the view. Eu e as montanhas!!! Bbbbb. I.