quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Necessidades

Quando criei este blogue fui muito exigente com aquilo que queria escrever nele. Não queria um assunto qualquer, escolhia as palavras com cuidado. Queria máxima qualidade, dentro daquilo que permitem as minhas capacidades.
Até que me deparei com este novo mundo sem acentos e novas histórias. Não queria fazer dele um diário de viagem e pensei até criar um paralelo, para dar notícias aos amigos e registar aquilo que quero, mais tarde, recordar.
Na verdade, a teoria de maslow está correcta. O ser humano, só tendo o nível das necessidades básicas satisfeito, sente as necessidades do nível seguinte.
Eu, aqui, sobrevivo.
Não tenho o conforto a que estava habituada.
Para lá caminho. Já não tenho a casa suja, já tenho vários instrumentos de cozinha, já tenho TV. Atingi o primeiro nível. Faltam-me agora as botas para a neve, a roupa mais quentinha, saber conduzir nesta neve, perceber tudo o que me dizem, saber, exactamente, como fazer o meu trabalho. Faltam-me amigos e vida pessoal.
Tendo pela frente necessidades que antes se encontravam antes tão preenchidas, os meus problemas agora são outros. Não me assolam as mesmas questões, não me atormentam as mesmas situções. O que deixei em Portugal, por lá ficou. E enquanto me preocupo, pela manhã, em não escorregar na neve, apetece-me rir dessas minhas antigas preocupações.
E sorrio, muito. Porque, caindo ou não, sinto-me, finalmente, em paz.

6 comentários:

a_secretaria_executiva disse...

e a morada para te enviar um livro? fazes o repto e depois não dás troco? :)

NC disse...

Isso é o mais importante... o resto já lá foi, só quando sentimos esse aconchego em nós próprias é que está realmente tudo bem :) *

Ana disse...

As nossas necessidades e preocupações vão mesmo mudando ao longo da vida e consoante as voltas que ela dá. Também me acontece olhar para trás e rir-me daquilo que me costumava tirar o sono. Há coisas que simplesmente se vão tornando pequeninas e insignificantes perto de outras.

João disse...

gostei mt. ainda bem que te sentes em paz. é um privilégio.

Anónimo disse...

Fico feliz por saber que finalmente encontraste a tua paz , porque sei que mereces e fizeste muito por merecer .

Bjs grandes

Maria

Anónimo disse...

First things first! Bbbb