sábado, 4 de dezembro de 2010

Odeio odeio odeio









Este raio desta neve.
É muito bonitinha, sim senhora, se estiveres em casa no quentinho. Olhas pela janela, vês as casas cobertas de branco, os miúdios a brincarem, a atirarem bolas de neve, a fazerem bonecos de neve e, tu, com o chá quente entre as mãos, divertes-te a observar. Tiras umas fotos, mostras à familia, aos amigos e oh coisa mais linda, este manto branco.
No dia seguinte, sais de casa para trabalhar. 8h da manhã, 5 graus negativos e, tu, de pá, a desenterrar ao carro. Até chegares ao carro escorregaste 3 vezes e enterraste a perna nesse gélido manto branco outras tantas.
O carro atrabalhar, para descongelar os vidros enquanto te congelam as mãos.
Até chegares ao trabalho, escorrega-te o carro três vezes. A estacionar, atasca outras 3.
À tua volta, o tal manto começa a ficar castanho. Sujo das tuas pegadas, das rodas do teu carro ou do sal misturado com areia. O tal manto branco, transforma- se numa lama suja, ainda fria e escorregadia.
Odeio, odeio, odeio esta neve. Raisparta que não pára.

2 comentários:

João disse...

:)

Anónimo disse...

Pois de facto e outra visao da branquinha querida neve. Bahhhhh, estupida neve! Bbbb I.