segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Comigo é diferente


Faz parte da natureza humana (ou talvez feminina). Achamos sempre que connosco vai ser diferente.
Seja um trabalho que nos dizem ser muito difícil, um amor impossível, uma amizade que nos dizem muito boa.
Vamos ao engano, porque acreditamos sempre que connosco vai ser muito melhor. Que vamos ser mais espertas, talvez ate mais inteligentes, mais pacientes, mais carinhosas, mais independentes. Acredita-se, ate, na possibilidade de ir contra a nossa própria natureza.
Somos melhores. Ou vamos ser, nem que seja por ter visto o outro errar e com os erros aprende-se, mesmo que não sejam os meus.
E esquecemo-nos da vertente humana. Da falta de paciência que, as vezes, nos assola, dos momentos de cansaço, dos momentos de carência ou mesmo, dos momentos de dependência.
Somos humanas e esquecemo-nos sempre, quase sempre disso. Porque ouvir falar e sempre muito mais fácil, porque teorizar é muito giro. Viver é que é difícil. Vai ser difícil.
Conhecemos o discurso. Cruzes, credo, valha-me Deus, como foi aquela seguir para a esquerda, quando a direita me parecia muito melhor. Como foi capaz ou como não viu. E também ai acreditamos que somos melhores. Mais espertas, mais inteligentes, mais independentes. E esquecemo-nos da parte humana. E que, pela boca morre o peixe e que há merdas que, pura e simplesmente, acontecem. E que é difícil. Vai ser difícil. Mas vai ter que ser.

1 comentário:

. Sofia . disse...

No fundo, somos todos iguais!