segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O tal amor platónico

Bem posso estar aqui com teorias e teoremas, sobre o meu amor platónico, mas a verdade, verdadinha, é que a coisa só é platónica porque ele não me liga patavina.
Ligar até liga, cá beijinho e abraço e bora prós copos e ai tão giros que nós somos. Mas sempre que há um momento mais emocional da minha parte, ai que gosto tanto de ti, és o meu melhor amigo e apetecia-me estrafegar-te como me faziam as amigas da minha avó, o gajo desaparece-me. A atenção, que não lhe digo isto de forma literal, o que justificaria o distanciamento. A coisa depois passa e basta um telefonema para quebrar o gelo. Mas tenho que ser eu a tomar a iniciativa e enquanto ali ando, ligo ou não ligo, a coisa dói-me como se uma espada me atravessasse.
É alguém com uma paciência infinita para mim, um ombro que está sempre disponível e uma das melhores companhias que conheço. A possibilidade de algum dia não poder viver com isso, seria demasiado dolorosa, o que me leva não só a não arriscar, como a nem sequer a ousar pensar noutras coisas.
Confesso que já pensei duas vezes, mas no fundo não contam. Uma das vezes estava muito carente e o ombro ali à mão confundiu-me. Outra, foi logo quando nos conhecemos, ainda sem esta amizade consolidada. E, apesar de hoje em dia eu insistir que, que de e ter sido impressão, ou, ou meus deus, como nós estávamos, que isso não faz sentido nenhum, é verdade que houve ali umas maozinhas dadas. E, para isso, são precisas duas pessoas, que eu ainda não dou a mão amim própria. Mas a coisa desenvolveu por outro caminho e hoje em dia, prefiro o que tenho, a milhares de borboletas na barriga. Ainda há cá uma. Só uma, que fica assim quietinha, sem bater a asinha, e só por isso lhe chama de platonismo.

2 comentários:

ROSINHA disse...

Desculpa mas agora fizeste-me rir como o caraças...A sério!Tiveste montes de piada,quem sabe não é com esse sentido de humor espectacular que o conquistas de vez!Fico a rezar por ti*

nils disse...

Isto anda mau para platonismos. Morre-se de frio. :)