quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

As vantagens


Uma das vantagens de mudar assim de pais, é essa coisa de voltar a estaca zero, á tábua rasa, á pagina em branco e podermos-nos armar em filósofos indagando sobre questões existenciais nunca antes abordadas.

E filosofo que é filosofo já sabe que o imaterial transcende o material, que deveríamos lembrar sempre a criança que há em nos e olhar para as coisas sempre como se fosse a primeira vez, de modo a elevarmo-nos ao espanto e ponderar questões metafísicas de extrema utilidade ao nosso bem estar.

E afinal que tem isto a ver com a mudança de pais? Permite-nos, efectivamente, aos 30 anos, ver coisas pela primeira vez.
E, trocando por miúdos, passar a apreciar as coisas simples da vida e deixarmo-nos de tretas com alter egos e realizações psicológicas.

Senão, vejamos, coisas que, actualmente, me fazem muito muito feliz:
- Chegar ao trabalho de manha. Chegar a casa ao final do dia. Sim, eu sei que vocês já estão fartos da neve e do gelo. Pois. Eu também.
- Conseguir ver um episodio do Mad Men, sem legendas, sem adormecer. E acreditar que também um dia será possível manter-me acordada mais do que 5 minutos com o CSI.
- Conseguir chegar ao final duma reunião, tendo pedindo, apenas, 10 vezes, para repetir alguma coisa. Isto sim, é muito bom. Nos primeiros dias nem chegava a fazer perguntas. Percebia tão pouco desta pronuncia irlandesa, que nem as minhas duvidas eu entendia.
- Conseguir comer alguma coisa verdadeiramente saborosa. Uma simples massa com queijo, sabe a pato.
- Problemas existenciais desapareceram. Analises a discursos alheios, também. Perder tempo a interpretar o que fulano e beltrano queria dizer, quando disse que estava tudo bem ou que não estava tudo bem é coisa que não me posso dar ao luxo. já passo muito tempo a analisar palavras estrangeiras que, ainda, não fazem parte do meu vocabulário. Isto permite, também, afastar os chatos que não conseguem dizer o que quer que seja, preto no branco e depois vem com conversas que não estávamos atentos e pardais ao ninho. Se aconteceu uma ou duas vezes, acabaram por desistir, dada a minha falta de preocupação.
- Poder escrever tudo no blogue porque ninguém fala português. Não tem preço.

1 comentário:

Nokas disse...

Deve ser uma aventura e tanto!!