segunda-feira, 14 de março de 2011

Limites


Nunca me disseram que ia ser facil.
Foi muito facil ate determinada altura. Ate aos 18 anos. So porque sim, os resultados apareciam sem grande esforco.
Tive o meu primeiro choque, quando cheguei a faculdade. Onde era cada um por si, nao havia ca testes de 3 em 3 semanas e nao havia memoria que aguentasse sem estudar (ir aulas tambem teria dado jeito).
Tive o meu segundo choque, no primeiro trabalho. Um part-time num call center ao qual nao chamavam call center. Uma equipa de muitas pessoas, a desejar mais que o part-time e o contrato a termo certo. Uma equipa com muitas pessoas capazes de passar a perna ao mais proximo, just in case.
Tive o meu terceiro choque, no segundo trabalho, que considero como o primeiro, por ter sido o primeiro a tempo inteiro e a medio a longo prazo. Chocou-me a falta de tempo e o volume de trabalho a que uma pessoa se pode sujeitar.
Tive o meu quarto choque, no terceiro trabalho, fora do pais. As pessoas, o clima, a comida, a luz, senhores, a luz e' tao diferente aqui. O trabalho, a responsabilidade, o ingles e a solidao.
Apesar desta vida facilitada nos primeiros anos, felizmente, sempre me ensinaram que esforco e' imprescindivel para o sucesso. Esforco e inteligencia para escolher a opcao mais acertada possivel.
Ajudaram-me a perceber que a psicologia teria um mercado de trabalho mais dificil. Nunca me impediram, mas mostraram-me e ainda bem. Nao ficou nenhum sonho para tras, porque aos 14 anos nao se sonha, fantasia-se e eu tenho tanta vocacao para psicologia, como para cantar (nenhuma, portanto).
E aprendi a minha licao. Ponderar, investigar e sacrificar. E mesmo assim, eu quis sempre, sempre, tentar ir mais longe.
Foi o que fiz ao aceitar vir para aqui. Sabia que nao ia ser facil e tentei facilitar de antemao o que, a distancia, parecia mais dificil.
Cheguei e correu bem, casa num instantinho, papeis tratados e nada parecia ser muito dificil. E porque eu acredito muito em mim e essa forca tambem me bastava.
Infelizmente, hoje nao basta. Talvez amanha seja diferente. Hoje parece demasiado e sinto muitas vezes que nao tive essa inteligencia que sempre me aconselharam.
Por outro lado, se nao tivesse vindo, nao saberia. Fui capaz. E quero ser capaz de muito mais.
E estou numa luta interior a tentar definir os meus limites, ao mesmo tempo que me pergunto se valera a pena defino-los, em vez de testa-los.
Hoje, ponho tudo em causa. Amanha sera diferente.

4 comentários:

Anónimo disse...

Fico triste. Bbb

clara disse...

Nao fiques... Isto passa...

clara disse...

Nao fiques... Isto passa...

Anónimo disse...

Não gosto de te ver tão em baixo! A vida é feita de altos e baixos, e durante uma semana e até mesmo um dia há muitos. encara esta fase como um baixo e anima-te, por favor! Beijinhos grandes, Sandra