terça-feira, 15 de março de 2011

Menos um dia

Aqui há tempos, li num artigo qualquer, que um escritor norte americano, não esmorecia cada vez que uma editora lhe recusava a publicação de um seu livro, porque desenvolveu uma equação qualquer, que o fazia estimar que tinha que receber 100 recusas até conseguir o seu objectivo. Cada vez que recebia uma recusa, ficava contente porque era apenas mais uma até chegar ao seu número mágico. Finalmente, acabava por publicar o livro muito antes da tal recusa número 100.
Lembrei-me hoje disto e resolvi aplicar a muitas outras coisas na minha vida.
E, amanhã, vou tentar lembrar-me disto ao acordar, para poder esboçar um sorriso e pensar que é menos um dia que passo longe de casa.
E cada vez que me recusarem um curriculo, vou lembrar que é menos um até chegar ao emprego de sonho.
E cada vez que me sentir num mau emprego, vou lembrar-me que é apenas mais um, até chegar a reforma de sonho.
E cada vez que uma relação correr mal, vou lembrar que é menos uma, até chegar a tal
E cada vez que algo correr mal, vou lembrar-me que é uma aprendizagem para que para a próxima, corra muito melhor.
Nem sempre são precisos estes artefactos para acalentar esperanças por um dia melhor.
Neste momento é necessário. E pelo menos, sei que luto para me sentir melhor, para relativizar e conseguir sorrir. Só mais uma vez.



2 comentários:

João(mais nada) disse...

como fazemos todos, praticamente todos os dias.

clara disse...

Eu, ae agora, nunca tinha pensado assim, Joao (mais nada). Talvez fosse o que me faltasse.