terça-feira, 5 de abril de 2011

A Balti é linda!


Eu não queria escrever só sobre a Balti, mas não da. Esta experiência esta a ser uma autentica caixinha de surpresas e a Balti é extraordinária (todos dizem isso dos seus próprios cães, não é?)
A Balti da manha de ontem já não era a mesma Balti de ontem a noite.
Ensinaram-me que deveria pegar nela e po-la a ouvir o meu coração, para conseguir acalma-la e fazer com que confiasse mais em mim.
E não é  que resulta?
Depois dessa experiência, deixei de ter uma Balti que não saia da sua caminha, que punha o rabo entre as pernas quando me via e sempre triste, triste, triste, para passar a ter uma Balti que agora me segue para todo o lado, que abana o rabo e faz uma dança com as patinhas de tras, assim que me vê, uma Balti cheia de energia e, parece-me a mim, muito mais feliz.
A desvantagens desta experiência, é  o facto da Balti agora não querer mais nada. Peguei nela e sentei-me no sofá. Depois de ouvir o meu coração, cheirou-me toda e adormeceu. Neste momento, assim que me sento no sofá, tenho uma Balti toda pespineta, a exigir colo. Fica irritada e (a formiga já tem catarro) ladra (o ladrar dela é  qualquer coisa, parece um daqueles apitos de um boneco de plástico).

A Balti é  linda e eu estou tão babada.

Sem comentários: