sábado, 9 de abril de 2011

Mais?

Sempre que eu acho que já nada me pode acontecer nesta Irlanda, surpreendo-me.
Esta manhã, eu e a Balti acordámos com um barulho estranho. Como se alguém estivesse a esmagar um garrafa. Comecei por achar que fosse lá fora, mas o barulho intensificava-se e já não havia dúvida, era cá dentro, mais propriamente na cozinha.
Cheguei-me à porta e o barulho parou. Estranho. Voltei para o meu quarto na esperança que não fosse nada. A Balti estava em estado máximo de alerta e passado uns 2 minutos o barulho recomeça. Volto à cozinha e volta a parar. Bolas, tenho qualquer coisa dentro de casa. O facto do barulho ser o de plástico a dobrar, não deixava grandes margens de dúvida, estava qualquer coisa e, provavelmente, viva, dento do saco de papel onde acumulo a reciclagem.
Voltei para o meu quarto, desta vez já sem esperança que não fosse nada, mas a pensar o que poderia ser e como resolver... Bolas, em Portugal, estaria já a ligar para o meu pai para me resolver o problema. Aqui, não tenho absolutamente ninguém a quem ligar. Entretida com estes pensamentos, começo a ouvir chiar. O que raio tinha antes feito o barulho do plástico, estava agora a chiar. Esta porcaria é um rato! Só pode ser um rato.
Depois de algumas chamadas para os meus pais, para encorajamento, pus uns sacos de plástico em cada uma das minhas mãos (à falta de luvas), estive uns bons 10minutos, parada, a encher-me de coragem, fechei todas as portas das outras divisões, abri a porta da rua, agarrei no dito saco e corri com ele para a rua.
Nunca tive coragem de olhar para o saco e perceber o que lá estava dentro. Fiquei sem certezas.
Agora, estou no quarto, atenta a todos os barulhos, para ter a certezinha que o que quer que fosse não continua cá dentro.
Uffffffff.... Esta foi dura!



1 comentário:

Anónimo disse...

Como eu te entendo! Aqui qd aparecem bichos eu subo para o sofa e grito: nuuuuuuunooooooo!
Bbbb