sexta-feira, 17 de junho de 2011

O que faltava

Hoje levei a minha Balti ao veterinário.
Enquanto a senhora doutora veterinária fazia lá aquilo que lhe competia, fomos conversando.
Contei as asneiras e trabalhos que me tem dado a Miss Balti, nos últimos dias. Coisas normais de cães, achava eu, como roer portas ou um ou outro chichi fora do sitio. A veterinária ouvia atentamente e fazia perguntas, tal médico, quando pergunta, "e se eu carregar aqui, doi?"
Fiquei então a saber que a minha menina sofre de um sindroma grave: ansiedade de separação.
Acabei por ter que trazer muita literatura para ler. Psicologia para cães. E fugi, antes que prescrevesse anti-depressivos ou coisa que o valha.


Um aparte: um dos problemas da Balti é comer os seus dejectos. A veterinária aconselhou-me a por uns comprimidos na comida, cujo o efeito é fazer com a coisa lhe saiba tão horrivelmente mal que a demova. Ao explicar-me o processo, resolvi perguntar no meu pouco forte inglês para estes temas: "mas depois também vai ser mau para mim?". Eu estava a pensar no cheiro e no acto de apanhar a coisa. Ainda não consegui parar de rir, cada vez que me lembro da cara da mulher!

Sem comentários: