terça-feira, 21 de junho de 2011

Psicologia para cães

Resolvi dar uma vista de olhos na " literatura" que me foi dada no veterinário sobre psicologia para cães e o problema que foi diagnosticado à Balti.
Assim, descobri que, afinal, a minha cadela, é uma cachorra de 4 meses, perfeitamente normal, que gosta de roer uma porta de quando em vez.

Gostei, particularmente, das soluções apresentadas:
- arranjar uma babysitter (neste caso, dogsitter);
- ignorar o cão (afinal, em que é que ficamos, atenção 24h/dia, contratando uma miúda para lhe fazer companhia ou fingir que o bicho não existe?);
- arranjar uma jaula para o cão (castigá-lo quando saio, para não sinta ansiedade pelo facto de sair?);
- arranjar outro cão (e uma babysitter para os dois, ignorar os dois, enfiá-los aos dois na jaula?).

Os veterinários psicólogos, ou lá o que eles são, são pessoas extremamente coerentes.

1 comentário:

Anónimo disse...

Ignora pf e em nenhum caso vás nessa conversa de arranjar outro p lhe fazer companhia!!!
Bbbb