quinta-feira, 30 de junho de 2011

Raisparta a puta da saudade, que bate quando menos esperamos.
Quando estamos num solarengo dia (não é o caso, que eu vivo na Irlanda e isto é só uma metáfora) e qual rabanada de vento, nos levanta a saia, deixando-nos vulneráveis e fragilizadas. Precisamente, aquela saia, que é o nosso melhor outfit e que nos fez sair de casa a sentir poderosas.



2 comentários:

R. disse...

É do caraças... a saudade... senti o mesmo hoje pela manhã. Apetecia-me mudar o meu rumo de hoje, e dirigir-me para oas mimos dos papás... já estou a precisar.

clara disse...

Eu estou a precisar taaaanto