segunda-feira, 15 de agosto de 2011

O mundo não chega


Nós queremos o mundo. Não há pessoa que não queira conquistar, marcar a diferença, ser algo mais do que aquilo que é.
A ambiçao, não é mais que isso, o desejo de conquistar mundo. Talvez seja a nossa costela de vasco da gama. O desejo de correr mar em busca de especiarias, de pimenta nas nossas vidas, de ser grande.
Quanto maior o desafio, tal Vasco da Gama, pronto a trespassar aquela grande onda, ou a forte corrente, seguimos em frente. A onda pode-nos enrolar, ou talvez, a corrente seja demasiado forte. Talvez o remoinho seja causado por nós proprios, que queremos tudo, mesmo antes de saber o que se encontra para lá desse tudo.
O mundo não chega. Podemos ser um portugues, que vive na Irlanda e trabalha no resto da Europa. Faz uma formaçao na Alemanha, ensina em Espanha. Tal como o zuckeberh, que cria a mior rede social, apenas na esperança que aquela pessoa, um dia aceite o sue convite como amigo. F5, refresh, e a vida continua.
Porque nós queremos o mundo, mas não um mundo qualquer. Aquele, o teu, o meu, o dela. Um mundo maior, o mundo de alguém.


3 comentários:

Fuschia disse...

Acho que quem vai para fora o faz à procura de algo que por vezes, ironicamente acabam por encontrar apenas aqui.

Acho que se saísse do País seria sempre com o intuito de voltar em médio prazo, não me imagino a conseguir criar raízes noutro sitio, embora os consecutivos desgostos que este País me dá, me estejam a começar a desligar.

Tu saíste para ficar definitivamente ou pela experiência?

clara disse...

Saí só pela experiência, sempre com o intuito de voltar a Portugal.

Anónimo disse...

Já nasceu esse alguem q vai partilhar o mundo ctg!
Bbb