segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Já estou na contagem decrescente. Amanhã, por esta hora, estarei a entrar no avião. Se por um lado, vou com energias renovadas, cheia de planos para suavizar a coisa, clichés escritos, para me lembrar que o que não nos mata, torna-nos mais fortes, por outro, deu-me uma nostalgia, que não me permite mexer. Já tenho os meus pais à espera, para ir almoçar e só penso que só preciso de mais um minuto. Nessa tentativa frustada que o tempo ande mais devagar que o costume. Mas o cabrão não pára, nem por um segundo, por mais que lhe implore.
Mas isto, desta vez, vai. Vai correr muito melhor. Mal ou bem, há pequenas mudanças, que darão lugar a novos desafios. Mais faceis ou mais dificeis, não sei. Novos. Acho que é essa merda do novo que, agora, me assusta, quando foi o que me seduziu, em primeiro lugar.
Tenho que me lembrar que se o denominador comum, às vezes assusta, porque leva uma introspecção lixada, por outro lado, torna tudo menos desconhecido. Eu sou eu, em qualquer lado do mundo. E uma pessoa é só uma pessoa é só uma pessoa. Aprendi esta agora e não me posso esquecer.



6 comentários:

Anónimo disse...

Espero que agarres com garra esses novos desafios!! Tenho a certeza que vai correr bem!
Boa viagem! beijinhos
X

mimi disse...

E a Balti?

clara disse...

A Balti é a grande, GRANDE motivaçao!
Tou a morrer de saudades.

S* disse...

Boa sorte para isso!

Alix disse...

vens para Portugal? não percebi bem...e sim, as mudanças assustam-nos, mas às vezes temos de as fazer.
boa viagem.

bjs*

Alix disse...

vens para Portugal? não percebi bem...e sim, as mudanças assustam-nos, mas às vezes temos de as fazer.
boa viagem.

bjs*