quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Por-tu-gal, Por-tu-gal, Por-tu-gal

Portugal é a arte de desenrascar. De produzir e muito, mas só porque se conhece alguém, que conhece alguém que trata disso em 5 minutos, para se poder passar o restante tempo na esplanada.
Portugal é poder comprar alcool às 10h da manhã e, muitas vezes poder sair até essa hora.
Portugal é ter sol na esplanada, café na empresa, e a vizinha da frente que já aparece com outro outra vez, para que nunca falte assunto nessa esplanada ou no café.
Portugal é comer carne ou peixe ou marisco ou mesmo só uma saladinha para compensar todos os outros.
Portugal é encontrar outro português no outro lado mundo e ser o melhor amigo só por isso.
Portugal é querer ir para fora, conquistar mares nunca antes navegados, para depois só querer voltar, nem que seja para mostrar as especiarias, que se transformaram no bmw alugado em agosto, para poder mostrar na terrinha.
Portugal é ter mil e uma pronúncias e não ser percebido pelos que falam com uma delas, os brasileiros.
Portugal é pastel de nata, de bacalhau, comer croquete numa festa e beber caipirinha a qualquer hora.
Finalmente, Portugal é saudade. De si mesmo, do passado, do futuro, do pior, do melhor, na saúde e na doença.

E este é o meu último post sobre Portugal. Que isto de estar num sitio, com o pezinho noutro é lixado e eu, agora que voltei, quero dar uma oportunidade à seria a isto.

2 comentários:

Princesse Sofia disse...

"Portugal e quere ir para fora para depois so querer voltar".....tal e qual!!!

clara disse...

Princesse Sofia, eu sabia que não era a única.