domingo, 9 de outubro de 2011

O teu problema é

Não é segredo para quem leia este blogue, que recentemente, passei por uma fase muito dificil na minha vida. Sinto que essa fase está passar, ando mais animada, menos chorona, de muito melhor humor. Como diz uma amiga minha, "soy un junco". Vergo, mas não parto.
Pelo caminho, ficam as cicatrizes da ferida. A intensidade dos sentimentos diminui, mas nem tudo se apaga.
E neste momento, o que mais me apraz dizer é que eu não sou, nem nunca fui um problema. Tive problemas como toda a gente e, às vezes, a desonestidade dos outros, não compactuando com aquilo que sou, torna-se um problema. Isso não significa que eu tenha que mudar ou rever os meus principios. Talvez tenha que passar, apenas, a mudar os sitios onde vou buscar forças, para manter-me fiel a mim própria e às minhas convicções.
Depois da tormenta, devo dizer que, esses, apenas se fortificaram e que me fizeram perceber, cada vez mais, que não, eu NÃO sou um problema. Como toda a gente, às vezes tenho um aqui e ali. Faz toda a diferença.



2 comentários:

Anónimo disse...

iiiiiiiiiiiiiiii, ninguem morre de amores!Somente aqueles que tem tendencias suicidas.
Custa, custa e custa a passar, mas o tempo cura e mais depressa se esquece se outro amor aparecer.Mas para isso acontecer, temos de procurar e nao esperar que ele caia do ceu.Muitas vezes o mal nao esta em nos.Compreensao, entendimento, paciencia e comunicacao sao virtudes que nem todos nos temos.

RBM disse...

É tão bom quando encontramos algo que podíamos ter sido nós a escrever e não fomos. :)