segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Pés molhados

Eu já sei que partir do particular para o geral é uma falácia, que por um gato ser preto, não significa que todos o sejam. Sei que o preconceito e o esterotipo são coisas feias. Mas também sei que a aprendizagem se faz da experiência e do erro. E esta é a minha experiência: os irlandeses são falsos.
Os portugueses, ou outros emigrantes, que conheço dizem -me que os irlandeses até são fixes, são afaveis, gostam de ir para os copos e levar companhia e etc e tal. Concordo. À primeira vista são um doce, muito simpáticos, muito preocupados, mas não passam de palavras.
Eu, ate agora, sempre que me virei para um lado, levei uma bordoada, sempre que virei costas, levei uma facada. Tenho levado muita festinha no pêlo, só para estar mais relaxada e nem perceber donde veio a pancada.
Algumas pessoas dizem que hà um proposito para tudo o que acontece nas nossas vidas. Não acredito muito nisso, mas percebo a necessidade de acreditar numa cena dessas, para conseguir relativizar. E, por isso, às vezes, dou por mim a pensar no meu proposito. Se existir, é sem dúvida, deixar de ser a ingenua, até agora super protegida destas coisas, em Portugal. Em boa verdade, em 30 anos, só conheci gente minimamente bem formada. Achava-me uma pessoa desconfiada, mas na realidade só desconfiava dos rapazes que, eventualmente, me interessavam (lá está a experiencia como aprendizagem).
O meu verdadeiro inferno na Irlanda têm sido as pessoas. De resto, é dificil dizer quem nasceu primeiro, se o ovo, se a galinha. Talvez o mau tempo não me atormentasse tanto se pudesse dizer que o pessoal é bué porreiro, talvez as pessoas não me conseguissem atormentar tanto se não chegasse a casa com os pés molhados.



2 comentários:

Maria disse...

Se fosse a ti cortava o pelo e rosnava, para não levares mais festinhas. Que isso das festinhas no pêlo e facadas nas costas é tramado. Muito tramado.

Bjs

Christian V. Louis disse...

Penso que falsidade há em todo lugar, apenas alguns de nós, tal como eu, por vezes temos má sorte em cruzarmos com muitas pessoas falsas pelo caminho. Gostei do teu blogue, sigo.