quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O mundo foi feito para dois


Vida de solteira nao e’ facil. Bem podem vir as solteiras moderninhas dizer que e’, que e’ so uma imposicao da sociedade, que adoram nao ter que apanhar cuecas do chao e ter o comando da TV ah sua vontade e que estao muito bem e resolvidas, solteiras. Nao e’ verdade. E eu, sendo uma delas, que e’ como quem diz uma trintona encalhada, posso falar.
E uma trintona encalhada e’ aquela em que ninguem pega ou aquela que anda a espera que o gajo que so lhe manda mensagens de madrugada se resolva (partir das 23h, ja todos sabemos para o que e’) ou aquela que esta a curtir um desgosto recente ou de 500 mil anos. Tudo no mesmo saco.
E’ dificil quando nos perguntam “continuas sozinha?”, “ja conheceste alguem?”, “esse paspalho ja assumiu?”, com aquele ar de “tenho muita peninha de ti”. A pessoa sente-se logo como alguem a quem falta algo vital, como um braco ou uma perna, pronta para aparecer numa qualquer reportagem da tvi “A margem da sociedade”, onde explicaria os obstaculos do dia a dia e choraria a contar o incidente que a deixou naquela situacao e o seu conselho aos mais jovens “nao facam como eu, que engordei 500 kilos e ligava quinhentas vezes para o trabalho, so para saber se vinha jantar”. Mas nao e’ so por isso, que a isso podemos responder e tentar acreditar “nao, porque nao preciso, nao quero, nao estou interessada, estou numa fase de instropeccao, para perceber quem sou o que quero, para onde vou ou, a mais comum nos dias que correm e a preferida da minha avo, sou uma mulher moderna, uma mulher de carreira, nao tenho tempo para essas coisas”. Quem tem tempo para comer um bolo de chocolate, antes de ir para cama, tem tempo para aturar um gajo tambem. Ate porque, aquela que tiver a sorte de conseguir que habitual actividade fisica implicita numa relacao, dure mais de 5 min, e’ uma sortuda, comparavel com quem ganhou o Euromilhoes, a nivel de probalidades. A coisa nao exige assim tanto tempo.
A verdade e’ que, quer queiramos, quer nao, o mundo foi feito para dois. Podemos ir ao cinema com amigos, jantar fora com amigos, embebedarmos com amigos. Podemos fazer mil e uma coisas com amigos, mas nao todas.
As camas sao de casal, as fronhas veem aos pares, os pacotes da vida e’ bela sao para dois, as promocoes sao pague um leve dois e a hipoteca, por mais pequenina que seja, devia ser dividida. As nossas amigas, quase todas emparelhadas, gostam de fazer ferias com outras emparelhadas ou fazem-nos pagar o dobro pelo raio do quarto de casal. Diz que ate para fazer dieta e’ necessaria actividade a dois, que sozinha finge-se muito menos que e’ o que queima mais calorias.
Sou uma solteira assumida ha alguns anos. Ja passei pelas fases de negacao todas. O desgosto, o nao preciso, o agora ando concentrada nisto ou naquilo, a nossa relacao que so comeca as 11h da noite de um qualquer sabado, e’ especial e ninguem nos entende. Um bocadinho de tudo.
Nao sou infeliz, nao ando a procura (mas confesso que tambem ja andei), mas tambem nao me importava.

14 comentários:

Joao disse...

Ena, mas entao! estas com crise de meia idade ou que?

clara disse...

Nepias. Estou a ser sincera.

Tulipa disse...

...e de repente tudo muda (é a continuação do teu texto ;)).

clara disse...

E mundo passa a ser feito para um? eheheh

Tulipa disse...

...e de repente tudo muda e encontras a pessoa que partilhará o mundo feito para dois, a dois :)

clara disse...

;)

Bloga-mos disse...

Chamaste-me, Clarinha?

Anónimo disse...

Não há segredos ou truques para encontrar a pessoa certa. Há sentimentos que se reconhecem, olhares que se sentem e imagens que ficam. Na marcha dos anos, procuramos um reflexo daquilo que queremos para nós, que nunca possuímos ou que um dia tivemos e gostaríamos de recuperar.

De todas as relações que experienciamos, reconhecemos uma certeza que gostaria de partilhar ao ler o teu texto…

Que efectivamente não há amor como o primeiro… Existem outros, mais ou menos intensos, mais ou menos correspondidos. Mas a magia do primeiro, efectivamente nunca desvanece e brilha nostalgicamente na memória… E ocasionalmente rasga a escuridão da memória como uma estrela cadente numa noite de verão.

Tu Clara és especial.

Tu Clara mereces alguém especial e esse alguém talvez só apareça com a sabedoria dos anos, de braço dado com a experiência... que um dia vai aparecer e fazer-te feliz.

Assim tu queiras e te permitas emprestar esse coração mole a quem o respeite e demonstre que o merece cuidar.

clara disse...

Caro anonimo,
Nao podia deixar de responder a este comentario e de forma seria.
Nao sei se um e' um obrigada a resposta certa as palavras especiais.
A mim pareceu-me que a forma certa de agradecer e' simplesmente mostrar que ha anonimos e anonimos, simplesmente porque ha coisas que nunca "desvanecem e brilham nostalgicamente na memoria". Identificam-se a distancia e esse reconhecimento imediato e', neste caso, a minha melhor homenagem.

Alix disse...

sabes que eu também já reparei nisso, de o mundo ser feito para dois. farto-me de pensar: "anda tudo aos pares". é mesmo.
é complicado...

Menino De Sua Mãe disse...

reparamos mais naquilo que nós dói mais. quando nos falta alguém, até nos chama a atenção o facto de os carros terem dois lugares à frente...

Su disse...

Como eu me revi no que disseste ;)

clara disse...

O carro, bolas, como é que eu não me lembrei logo do carro! Bem lembrado, Menino de Sua Mãe.

Obrigada, Su, afinal não sou só eu!

Anónimo disse...

Ele ja nasceu....e deve ser tao cromo como tu, por isso andam desencontrados ;)
Bbbb