sábado, 2 de junho de 2012

E assim se passou o dia

E o dia de ontem lá passou.
Como tive insónias na véspera, quando o despertador tocou, senti dores físicas. Tinha no telemovel, exactamente a mesma mensagem do ano passado. As mesmas palavras, curtas e grossas, da mesma pessoa. O ano passado, primeiro ano longe de casa, fez-me chorar. Este ano não.
Chegada ao trabalho, com um bolo enorme nas mãos, tentei dirigir-me á minha secretaria, da forma mais discreta possível. Não havia.
Reunião de 15 minutos, seguida de lanche da manhã (sim, a minha empresa pára de manhã, para a malta tomar o pequeno-almoço) para correr para outra reunião, esta de 6 horas.
Ficaram as chamadas todas por atender, as mensagens por responder e as saudades por matar.
Lá fizemos uma pausa para almoço e á tarde, outra para o bolo.
Os irlandeses dão os parabéns meio de fugida. Não há cá beijinhos. Atiram um happy birthday a uns 3 metros de distancia se passarem por nós no corredor.
Depois da reunião, tive que ficar a fazer mais horas para acabar o meu trabalho.
Vim para a casa a correr, preocupada com a cadelinha, que não costuma ficar tantas horas sozinha e que já devia estar aflitinha.
Pois, quando cheguei a casa, a Balti não estava aflitinha, não senhora. Estava de diarreia. Abri a porta e deparei-me logo com o presente. Não seria o meu aniversário se não tivesse presente da minha menina.
Depois das devidas e difíceis limpezas, doía-me a cabeça.
Dormir era missão impossível, que havia ainda chamadas a atender.
Saí de casa ás 11 horas da noite. De entre dois bares, acabámos no vazio.
Bebi álcool, infringindo a dieta (sim, voltei à dieta e farei em breve um post sobre a mesma).
Dali fomos para uma das duas discotecas da cidade, que se chama Earth. Mas que eu prefiro chamar (quando os irlandeses não estão a ouvir) de faroeste.
Bebi mais álcool.
Tiraram-nos uma foto e comprou um dos meus amigos, o porta-chave com a respectiva fotografia para me oferecer. É uma moda irlandesa que não percebo. Sim, é habitual andarem nas discotecas, pessoas com um cartaz numa mão e máquina noutra, prontos para oferecer porta-chaves com fotos tiradas no momento.
Disse alguns disparates impulsionados pelo alcool, que segunda feira são capazes de criar-me alguns constrangimentos.
Vim para casa.
O quarto rodou um bocadinho.
Adormeci feliz.

2 comentários:

mimi disse...

Happy birthday...(a muitos quilómetros de distância) LOL

Madame Frufru disse...

Hehehe. Parabéns Clara!