terça-feira, 24 de julho de 2012

A Nutella tudo cura

Desde os meus tempos de blogueira, já conheci dois gajos pelo blog, que é como quem diz, pela net.

Achava piada ao primeiro porque achava piada ao blogue e a umas fotos que o pequeno volta e meia postava de si mesmo. O segundo, pelo simples facto de sermos emigrantes num mesmo país. Curiosamente, os dois encontros terminaram exactamente da mesma forma. Os ditos cujos aos beijos a uma espanhola.

Se o primeiro me custou porque havia interesse da minha parte, o segundo, custou-me porque estava a viver nesta merda de país (era assim que eu o via, nessa altura), não sabia voltar sozinha para o carro e era a segunda vez que aquela merda me acontecia.

Estive quase para conhecer um terceiro rapazinho. Não me parece que houvesse dali interesse, que o pequeno disse-me logo que namorava, mas depois duma troca interessante de mails, lá me convenceu a encontrar-me com ele nos pasteis de Belém. Azares dos azares, não o vi com nenhuma espanhola, porque estava numa fase complicada da minha vida e achei que no caminho para os pasteis de Belém, podia visitar uma pessoa que me ajuda nos tempos mais difíceis (cá beijinho, Silvia). Aquilo que se estimava ser um café duma hora, revelou-se uma choradeira de quatro horas, que me levou a deixar o rapaz pendurado, enquanto me mantinha sem capacidade de falar ou escrever uma mísera sms. Quando, finalmente, me recompus, ainda liguei a pedir desculpa, mas acabaram-se aí os poemas, as sugestões de filmes e o envio de músicas.

De vez em quando, as pessoas normais têm momentos de lucidez, as pessoas como eu, armam-se em totós. E é em momentos como esses, em que me deparo com alguém que escreva ao bom estilo do Kevin Costner das "palavras que nunca te direi", mas menos lamechas e com mais piada. Daqueles que põem qualquer gaja a suspirar pelo que o gajo escreveu à defunta. E nesses momentos, ocorre-se-me "eh lecas, temos gajo".

Mas depois como umas colheres de Nutella e a coisa passa-me.

2 comentários:

S* disse...

Os pequenos desgostos de amor também doem... :)

Anónimo disse...

AHHHHHHH, a mim ainda nao me conheces, e eu nao moro muito longe de ti!!!hehe