segunda-feira, 30 de julho de 2012

Isto, sim, é um coração partido

Hoje a Balti encontrou um cão da sua raça. Claramente doente, abandonado, fraco. Dei-lhe de comer e beber. A Balti deixou-o beber, já comer não achou muita graça.
Tentei ligar para o canil municipal, mas já estava fechado.
Entrou cá em casa e eu estava prontíssima para deixá-lo passar cá a noite e, quiçá, adoptá-lo. Certamente, estaria a adoptar um desgosto, porque aquele cão deve ter sido abandonado para morrer. Mal andava, via ou ouvia. De repente, perdia a força nas patas e caía.
Não sei que doença teria. Talvez fosse simplesmente velhice, talvez fosse um cancro, um vírus, uma qualquer outra porcaria. Não faço ideia.
Convenceram-me que seria um perigo deixá-lo cá. O que quer que tenha, podia pegar à Balti e senão à Balti, que está vacinada, talvez a mim.
Consegui arrancá-lo da minha casa ao comando "lets go for a walk". Andámos um pouco. A Balti a ampará-lo. As patas a falharem e ele a cair. Deitou-se cansado e ali ficou. Não mexeu mais. Voltámos para casa. Não jantei e, é bem provável, que não durma. Abandonei-o pela segunda vez e não me suporto por isso.

5 comentários:

Anónimo disse...

e não havia um veterinário? acho que agora tb vou ficar sem dormir... essas coisas sempre partem o nosso coração de expatriado... Adriana.

Anónimo disse...

ah... não é uma crítica... apenas o meu coração juntou-se ao teu, sentido... Beijo. Adriana

redonda disse...

Pena que por aí não haja uma Associação Protectora dos Animais.

clara disse...

Correndo o risco de parecer frívola, um veterinário aqui é uma coisa muito cara. Àquela hora, 9 da noite, só hospital veterinário, que é para lá de caro. A minha Baltinhas tem seguro de saúde, que aqui é coisa que compensa. Infelizmente é pessoal e intransmissivel... :(

Anónimo disse...

Ja nao gosto de ti, partiste-me o coracao!!