quinta-feira, 26 de julho de 2012

Tambem eu tenho alguma coisa a dizer sobre o assunto (contem spoiler)

Também li o famoso livro das “50 Sombras de Grey”. Em minha defesa, desde já explico que neste momento, impus a mim própria ler, alternadamente, um livro em inglês, um livro em português. Ora o meu inglês ainda não é assim tão bom que me permita ler um Shakespeare e as vezes, só pelo idioma, a coisa cansa-me. Por isso, estou ainda no patamar dos livros básicos.
Já li nesta blogosfera que o livro não está bem escrito. Lá está, o meu inglês ainda não me permite fazer essa analise de forma cuidada, mas tenho para mim que é capaz de haver aí um probleminha de tradução. Só o titulo, faz muito mais sentido em inglês, que em português. Há ali todo um jogo de palavras que se perde ao traduzir. De resto, não é seguramente de uma linguagem muito elaborada, caso contrario, eu não teria passado das duas páginas.
De resto, todo o enredo é uma seca. Ao inicio aquilo parece muito excitante, muito kinky como se diz por aqui. Palmadinhas no rabiosque, todo um sem numero de instrumentos que tive que googlar e mesmo assim fiquei com dúvidas sobre como aquilo se utilizava. Logo ao inicio, percebe-se que a coisa não é lá muito realista. Uma miúda de vinte e poucos anos, virgem, e que não liga nada a rapazes. Na sua primeira vez, entre dores, sangue e todo esse cenário, que todas bem recordamos, alto orgasmo para a menina ver logo o que andava a perder. Depois de ler isto, ainda dei o beneficio da duvida ao livro. Pronto, deve ser uma fantasia comum, achar que a primeira vez vai ser maravilhosa e linda e com a pessoa certa. Continuando, a certa altura aquilo começa a ser bastante previsível e uma pessoa lê e pensa “olha, acordaram, lá vem sexo outra vez”, “olha, vão tomar banho, obviamente o sitio onde sexo é requisito obrigatório”, “olha, estão a piscar os olhos, venha de la mais uma pinocada”. Todos nós já passamos pela fase em que o nosso objecto de desejo respira e só por isso já queremos saltar-lhe para cima, mas isto assim escrito, preto no branco, cansa, pá.
A grande fantasia perfeitamente relatada no livro não é a relacionada com o sexo, não senhora. É o facto de o pequeno ter problemas emocionais e a menina virgem, que nada sabe da vida, liberta-o dos seus fantasmas. Fantasmas esses que, obviamente se devem á sua maezinha. Óbvio. Para mim, esta é a parte mais realista do livro e sem duvida o sonho de muito boa menina.

1 comentário:

Anónimo disse...

Ai ai Maezinha!!