sábado, 11 de agosto de 2012

Por quem sois?

Às vezes dava-me jeito ser um bocadinho mais corajosa e explicar a quem de direito essa coisa de nós gajas gostarmos de sentir que determinado indivíduo do sexo masculino cuida de nós.
É que cuidar de nós não implica o pagamento dum jantar caro. Gostamos, claro que gostamos, mas se nos levarem à caravana dos hamburgueres nojentos, é capaz de fazer o mesmo efeito.
Gostava de poder explicar que essa coisa de cuidar de nós, não obriga a arranjarem-nos uma suite num hotel todo xpto para pernoitar. Chega sabermos que o tal indivíduo nos cederá o seu casaco numa noite fria.
Apetecia-me explicar que fazer tudo by the book não dá direitos e não implica que uma menina se sinta obrigada a fazer vontades. Aliás, aí é que a porta torce o rabo, que nesse livro lido tão atentamente, essa não é uma das regras e as coisas não são taxativas. Nesta coisa do amor ou da atracção ou dos engates, não existem deveres, mas sim liberdades e quem me tira a minha pode ir passear macacos.

4 comentários:

Anónimo disse...

Ora bem Clara Maria e porque nao explicas isso mesmo aos rapazes que te convidam para uma Date?? Talvez andes a engatar os equivocados!! Ai Maria Maria!

clara disse...

Tenho este defeito, acredito nas boas intenções e na amizade entre rapaz e rapariga. Depois tenho surpresas destas.

Anónimo disse...

Os defeitos de alguns sao as virtudes de outros.

hesseherre disse...

De onde tiraste esta "a porta dobra o rabo?"
O certo é a porca tosse até no rabo pois está muito gripada...
Desculpa a brincadeira Clara...és giro.