sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Príncipes e princesas

Esta semana tive muita pena do príncipe Harry. A meu ver, isto de ser príncipe é uma chatice. O rapaz quis jogar bilhar despido, com uma jogadora que também dispensou equipamento para o efeito, mas parece que o rapaz se devia ter preocupado mais com possíveis fotógrafos do que com o taco e as bolas.
Se fosse qualquer outra pessoa, solteira, casada, viúva ou divorciada, ninguém se importaria com os gostos do pequeno. Fossem eles fazer uma orgia a quatro (é o que dizem as revistas, mas eu até agora só vi ali duas pessoas, o princepezinho e uma pequena meia escondida, mas como não fui ver se havia mais fotos por aí, não tenho a certeza se é uma cena a dois ou não), sado-maso ou passear caezinhos á beira-mar, ninguém queria saber.
Bolas, o rapaz é novo, deve ter necessidades, hormonas, desejos e essas tretas todas como qualquer um de nós. Depois, o resto, como se alivia dessas agruras, isso deveria ser lá com ele, mas como é príncipe e saca um montão de impostos aos ingleses, não pode ser fotografado como veio ao mundo, com uma pequena também como veio ao mundo. Nem pode fazer aquilo que os da sua idade andam a fazer e que, ate podia ser bem pior. E eu, acho isso, profundamente triste.

1 comentário:

Quel* disse...

É bem verdade. Ser príncipe deve ser uma chatice. Não se pode fazer nada, credo.