segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Não consigo

Nunca tive pretensões que este fosse um blogue genial, nem que tivesse muitas visitas. Uso-o como catarse, para dizer algumas piadinhas e para desenvolver teorias de alguidar, como a dali de baixo, da picada de mosquito.
Esse é um dos motivos pelo qual gosto de manter algum anonimato e não faço grande esforço para ter mais visitas, para nunca me sentir condicionada.
Muitas das coisas que escrevo, são coisas nas quais penso durante 5 minutos e venho aqui despejar. Às vezes, são piadas que me fazem rir a mim, às vezes melodramas que enfio na cabeça, outras vezes teorias que nalgum momento me pareceram fixes.
Isto dá-me prazer. Não sendo um reflexo fidedigno de mim, já é parte de mim.
Hoje trabalhei uma catrefada de horas seguidas, a um ritmo muito intenso, não tive tempo de vir almoçar a casa, nem passear a cadelinha mais linda do mundo, mas com a bexiga mais pequenina do mundo. Vinha cansada e zangada. E por isso, vinha já ao blogue escrever este post, mas em versão "venho com tudo e saiam-me da frente". Tinha noção que estava demasiado cansada para ter algum discernimento e não cometer injustiças, mas é para isso que este blogue me tem servido. Amanhã, já tinha passado e era menina até para me arrepender do que tinha escrito.
Não costumo arrepender-me do que ponho aqui. Seja um post mais pessoal, seja uma história que ouvi e que gosto de contar na primeira pessoa (ou não, tem dias), seja uma treta qualquer sobre a minha Balti.
Quem lê o blogue, já sabe que isto anda mouro novo na costa. Ando práqui encantada com um tal de OMD (para quem chega aqui de novo, OMD é objecto do meu desejo, mas também podia ser oh meu deus, que é aquilo que me apetecia gritar, quando se atira à estrada, sem ver se vêem carros). E esse OMD, volta e meia, vem cá espreitar. E eu gostava muito de o impressionar com metáforas e aforismos. Isto leva a que eu passe a pesar e repesar o que escrevo. Porque não é genial, porque pode ser interpretado mal, porque até já deu origem a mal entendidos. E isso, tira-me um bocadinho do prazer que tenho nisto. Para ajudar à festa, não sou correspondida na mesma medida. E qualquer um sabe, o gajo pode ser um anjo, só ter esse defeito de ainda não ter percebido que somos a ultima Coca-Cola no deserto, que, ainda assim, nós, de vez em quando, vamos ter vontade de vir práqui chamar-lhes nomes, receber uma palmadinha nas costas e ir à nossa vida, convencidíssimas que eles são mas é todos iguais e nós é que somos especiais de corrida.
E era mais ou menos isso que eu vinha aqui fazer. Vinha interromper a tal pausa, para despejar as minhas frustrações e mandar pócaralhinho quem me arrepiasse caminho.
Ao chegar a casa, percebo que a bexiguinha da minha menina estava aguentar-se melhor à bomboca que eu. Peguei no telemóvel português e vi uma mensagem de alguém que me é muito especial, a pedir que não alongasse esta pausa. Vim ler os comentários e tinha três a desejar que voltasse. Perdoem-me as outras meninas, que muito contribuíram para este post, mas um deles foi-me um bocadinho mais especial, por ter sido feito pela Rita Maria que é daquelas pessoas que me faz pensar "quando for grande quero escrever assim". Finalmente, fui cuscar o facebook e vi que alguém tinha partilhado um dos meus posts, que é daquelas coisas que nos faz sentir um Fernando Pessoa em pequenino, só porque é o rei das citações facebokianas.
E assim, decidi não fazer pausa nenhuma. Não consigo. Gosto disto. E a quem enfiar a carapuça com os meus posts, para a próxima, pergunte.
O link ali em baixo, que diz comentários, é a serventia da casa. A clara responde.

6 comentários:

Cor do Sol disse...

Só não gostei que usasses a expressão "última coca cola do deserto". Como é? Andamos armadas em hipster dos blogues? Andamos? :D

Só li os dois posts agora de rajada se tivesse sido ontem ia ter contigo e obrigava-te a escrever um post à minha frente eheh

:p

mimi disse...

Raramente comento, mas leio sempre, até porque vejo que há produção, através do FB :). Acho mesmo que comentei, no FB, qualquer coisita a propósito da pausa.... Mas se queres mimos, aqui vai, não faças pausas,vá lá....escreves tão bem, de coisas do teu dia-a-dia, da tua Balti...eu gosto de cuscar o que tens a dizer...não serei a tua leitora preferida (já tou com cúmes da Rita Maria) mas sou fiel...e podes contar aos teus amigos que tens "fãs menos novas" :)
Beijos
Mimi

clara disse...

Cor de sol, é só esta expressão, eu prometo. Esta tens que me perdoar :p

É verdade, Mimi, tenho tido sempre uma ou outra palavra tua ou um likezinho, que é sempre uma coisa simpática.
Fosse eu uma lamechas e dizia que isto até vale a pena :p

redonda disse...

Ainda bem que acabou a pausa :)

hesseherre disse...

Não taim pausa, ó minha senhora, SFF. :))
Antão a senhora acha que pode nos cortaire o ar que estamos comumente a respiraire?
Manda antão este raio de pausa pócaralhinho, pois não? Baijos na tua filha, a da bexiguinha pequena.

clara disse...

Sao poucos, mas bons :)