quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Pior a emenda que o soneto

A minha mãe descobriu a blogosfera. Desengane-se quem algum dia pensou que alguma blogger tinha já esgotado o potencial para angariar mais leitores. Hoje foi um cão, amanhã será o mundo.
Desde que apareceu o raio do cão, as minhas conversas telefónicas que, supostamente, me ajudam a manter-me ligada a esse lindo país, chamado Portugal resumem-se à opinião que a minha mãe vai desenvolvendo sobre uma tal de pipoca, um tal de arrumadinho e um tal de manolo.
Diz a minha mãe que a pipoca arranja-se muito bem. A minha mãe diz que alguém se arranja muito bem, da mesma forma que algumas pessoas quando questionadas sobre a estética de alguém, explicam que era simpática.
Acha também a minha mãe que eles não gostam lá muito do cão. Não lhe ligam nenhuma. Em vez de se porem a por fotos de tamanha beldade, põe deles próprios. Ou muito me engano, ou qualquer dia, a pipoca está a levar com telefonemas como os meus "ah, rapaste o pelo da cadela, atrás das orelhas e não se nota nada? Manda-me uma foto", ela treme de frio e por isso compraste-lhe uma camisola muita paneleira que nem no pior juízo lhe vestirias em Portugal? Manda foto".
Diz também a minha mãe que o manolo gosta mais do arrumadinho que da pipoca. Mas já castraram o cão? Ah, é verdade, levaram-no a um mercado, sempre ao colinho, porque não podia andar na rua e qualquer jornalista deste gabarito, leva a coisa à letra. Depois, foi só mostrar-lhe o video do gajo a dançar no gelo. Aquele que ele acha que a malta achou muita piada porque ele cai e não por causa daquele jeitinho de anca.
Como disse a secretária executiva, um gajo com coragem para pôr aquele video ao escrutínio dos outros, merece o meu respeito. Já quem casou com ele...

Sem comentários: