sexta-feira, 31 de maio de 2013

Se os tivesse

Trazer um carro português para a Irlanda e não o registar é, passado dois anos e meio, no caminho, de 5 minutos, para o trabalho, ás 9h da manha, levar com uma buzinadela no cruzamento desse bairro tão tranquilo onde se vive e onde as vezes cheira a estrume de vaca, responder bem á tuga um “passa por cima” e o carro que buzinou passar a ser só luzes e sirenes, “tinonitinoni”, levar com o aparato de 3 policias em cima, quais existencialistas, “donde vens?”, “para onde vais?”, “qual o teu propósito neste país?”, para depois, finalmente, depois de muita resposta ao melhor nível de desenrascanco tuga, lá nos deixarem partir.

Se os tivesse, tinha ido buscá-los ao chão.

1 comentário:

Anónimo disse...

Tu es tao fofinha!