quarta-feira, 8 de maio de 2013

Se um dia acertássemos as agulhas...

Há qualquer coisa em ti que se quebra. Talvez aquelas que vêem, talvez aqueles que partiram.

Há qualquer coisa em ti que se quebra. Talvez as palavras ditas, talvez as escritas, talvez o silencio. Queria dizer-te cada letra do alfabeto, cada palavra de amor, cada frase de desejo. Queria calar-te ao ouvido, sussurrar-te no peito, gritar-te na pele.

Há qualquer coisa em ti que se quebra. Talvez a distancia. O longe que é curto, a estrada que é estreita, o caminho que é rápido.

Há qualquer coisa em ti que se quebra. Há qualquer coisa em ti que me quebra.

1 comentário:

Anónimo disse...

Premio Fernando Pessoa do Ano 2013, estas nominada!! Deixa-te eh dessa cena da cruz quebrada, que essa terra eh onde? ja nao me lembro!!