domingo, 23 de junho de 2013

A carta do Brad

Eu odiei a carta do Brad Pitt sobre a Angelina Jolie assim que a li. Primeiro, tenho a certeza de que não é real, não é escrita pelo dito. Mas vamos supor que era e dissecar a coisa.

A carta começa com uma incoerência. Alguém com tanto amor e respeito pela mulher, não iria nunca expôr uma fase difícil da vida dela. Não ousaria nunca dizer que ela estava magra de mais, desgrenhada e mais não sei quê. A suposta carta fala da necessidade de a elogiar perante tudo e todos. Neste caso, quem a escreveu parece fazer um elogio a si próprio.

Eu percebo a perspectiva de quem a lê. Acredito que as mais românticas leiam ali aquela coisa de se ter que conquistar todos os dias, pensam nos seus maridos/namorados/amantes/amores falhados e desejam que lhes fizesse certos reparos e miminhos. Percebo que nesta coisa de ter que se remar um barco, às vezes um tenha que dar mais ao braço, para permitir que o outro se restabeleça, desde que vá calhando a vez a cada um. Mas é necessário que ocorra um problema para que alguém se lembre de passar a ter este comportamento? Falo por mim, que quando estou apaixonada só falo nas qualidades. Seja às minhas amigas, seja ao próprio. Quando estou apaixonada, por mim, diria ao mundo. E não só porque, de repente, há essa necessidade.

 

Finalmente, "a mulher é o reflexo do seu homem?". Foda-se. Por mais que eu goste de um homem, prezo muito a minha individualidade. É que isto ultrapassa o machismo, o egocentrismo e o narcisismo. E o homem pode ser espectacular e eu posso muito querer que me apoie, mas ser o seu reflexo? Puta que o pariu. Mas porque é que anda meio facebook e blogosfera tão enternecido depois de ler esta última frase. Custa-me encontrar argumentos para refutá-la porque não percebo. Simplesmente, não percebo.

 

4 comentários:

Arisca disse...

"Neste caso, quem a escreveu parece fazer um elogio a si próprio." precisamente o que eu senti assim que li.

Arisca disse...

"Neste caso, quem a escreveu parece fazer um elogio a si próprio." precisamente o que eu senti assim que li.

Anónimo disse...

Talvez quisesse passar a mensagem de que o apoio de quem amamos, nomeadamente do marido, é extremamente importante para ultrapassar as adversidades da vida. Mas a mensagem foi muito mal passada... As palavras roçaram o machismo.

redonda disse...

Que carta tão estranha...