sábado, 22 de junho de 2013

Eu tenho dois amores

Cada vez que uma gaja leva uma desilusão, acredita piamente que aquele é que era. Eu ando assim com o raio da casa. Aquele é que era alto como eu gosto. Aquela é que estava bem decorada. Aquele é que era inteligente como eu gosto. Aquela é que tem bons electrodomésticos. Aquele é que se interessava pelas mesmas coisas. Aquela é que tem a varanda que eu nunca soube que precisava. Aquele é que me fazia rir. Aquela é que tinha parque de estacionamento. Se ele me desse uma segunda oportunidade iria apaixonar-se por mim, de certezinha absoluta sintética e analítica. Se conhecem-se a Balti iriam perceber que é a cadelinha mais fofinha do mundo.

Eu, neste momento, tenho dois amores. A cadela e a casa. Só que um é incondicional e para sempre. As gajas, nisto dos gajos, não sabem, mas também têm dois amores. E um também deveria ser incondicional e para sempre. O amor próprio.

 

5 comentários:

Anónimo disse...

Olha, ha pouco tive ai na tua Drogada fazendo compras!!

clara disse...

Espectacular!

Ana A. disse...

Tão bom!
Tu és uma verdadeira pérola blogosférica.

Ana A. disse...

Tão bom!
Tu és uma verdadeira pérola blogosférica.

clara disse...

Ahahah! Já me tinham chamado muita coisa, pérola ainda não!
Isso é bom?