sexta-feira, 5 de julho de 2013

Castigo

Vou fazer como quando tinha 4 anos, outra vez. Vou fazer birra. Bater o pé. Não queres brincar comigo, já não gosto de ti. Não queres o meu jogo, então também não jogo o teu.

Vou pôr-te de castigo. Privar-te de mim. É sempre o nosso pior castigo, privar-vos de nós. Até pode não ser grande coisa, mas é o melhor que temos. Sempre podemos poupar esse melhor, para quando faça mesmo falta. A rainny day, como dizem por aqui. A grande merda, é que quando privamos alguém de interargir connosco, privamo-nos a nós próprias de qualquer interacção. É o feitiço contra o feiticeiro. É o castigo auto-infligido. A curto prazo. Acho.

Sem comentários: