sexta-feira, 5 de julho de 2013

Serviço público

Desde que o google reader morreu, andei aqui perdida com os blogues. Quando, finalmente, consegui resolver o problema com um substituto medíocre, fiquei com mil e tal posts por ler, metade dos quais até já tinha lido. Em vez de marcar aquilo tudo como lido, fui revendo alguns, na diagonal.

Perdi a conta às vezes que li as gajas que escrevem que o amor é tão lindo, que são tão felizes, ai que já me conheces tão bem, que são dois num só ou que têm medo de se apaixonar, mas este gajo leva-as tão bem. É a técnica do fazer-se dificil do século XXI. No século XX não iam para a cama com eles, no século XXI, são moderninhas, independentes, aceitam as suas necessidades, apaixonar-se é que não, deixando já nas entrelinhas um "mas, se te portares bem e esforçares um bocadinho, a coisa até vai".

Pois eu conto-vos já, para vos poupar sofrimento, o que é que se vai passar.

Das duas uma, ou o gajo vai cagar completamente para as vossas merdas e vocês vão mudar o discurso, e dizer que nem sequer são assim, eles é que são especiais e estrabuchar um "pick me, pick me", ou a coisa até vos corre bem, e o gajo até faz uma forcinha.

Vão andar todos apaixonados, ver coraçõezinhos em todo o lado, escrever quinhentas mensagens, dizer merdas fofinhas, atrevidas, sensuais e outras merdas. Depois vão ter a primeira discussão ou a primeira crise de ciúmes ou a primeira dúvida. Um cabo dos trabalhos que agora é que o gajo me ficou a conhecer ou agora é que tiveram surpresas que afinal ele... Enfim. Passado uns tempos um vai ter dúvidas, um vai mijar fora do penico, outro vai ter outro achaque qualquer. Uns acabam, outros lá vão continuando. com mais tempo ou menos tempos, há três e apenas três finais possíveis. Vão assinar os papeis do divórcio ou vão ficar juntos a odiar-se mutuamente ou um de vós ou os dois vai andar em aventuras extraconjugais.

E escusam de vir cá contar que não, que com vocês não é assim (eu também costumo acreditar nessa merda, comigo vai ser diferente. Connosco é sempre diferente) ou que conhecem não sei quem que yadayadayada. Eu explico-vos. A história ainda não acabou. Os finais felizes são para a cena final do filme. O que vem depois, ninguém nos conta.

 

E aproveito este post para dizer aos casalinhos enamorados, às românticas incuráveis, a mim mesma e à vizinha que tem a pior gargalhada do mundo, que está neste momento, de janela aberta, a rir com o maridinho e a deixar a cadela doida e a ladrar como se não houvesse amanhã: vão-se todos foder!

5 comentários:

a_secretária disse...

Mais nada a acrescentar! :D

Anónimo disse...

Calma Clarinha, o teu momento ha-de chegar.

Anónimo disse...

Clarinha, estas de mau humor hoje!!

Isa disse...

:D a melhor parte foi o fim :D

clara disse...

No fundo, no fundo, escrevi isto tudo só para escrever o fim. ;)