quarta-feira, 19 de março de 2014

Assim vai a vida

Hoje caí. Espalhei-me ao comprido, ou melhor, de joelhos no meio do supermercado. Tive esperanças que ninguém visse. Vãs. Doeu.
No sábado, ia tendo um acidente daqueles. Ainda não sei se tive e ninguém me avisou. Ia a 100km/hora. Dois dias depois, ainda não acho que o carro vá travar a tempo. Dica para quem vai numa auto-estrada e vê que os carros à frente se vão enfaixar: sinais de luzes encadeiam e não ajudam à tarefa de desviar do cabrão do taxi que decide, depois das raias da saída, que afinal quer voltar para a auto-estrada, enquanto se tenta, simultaneamente, não bater no carro que nos vai a ultrapassar, nesse preciso instante. É fodido. Valha-nos o tal do ABS, que depois duma barulheira infernal, trava. Acho que tem um sensor. Para parar só a um milimetro do cabrão do taxista. Só para dar emoção.

1 comentário:

a_secretária disse...

ahhh o sal da vida! beijo clara