domingo, 9 de março de 2014

O Euromilhões

Quando estava em Portugal, passava a vida a querer ir para fora. Agora, estou fora e, volta e meia, quero voltar. Sim, senhora, isto é muito bonito, já vi que isso dos portugueses não serem produtivos é uma tanga, já vi que bom tempo, temos em Portugal e que não há bolo a abarrotar de natas, chocolates, kitkats e M&Ms que bata o nosso pastel de nata. Agora já podemos ir embora, pode ser?

Acho que o que eu passo a vida a querer é que algo aconteça. Mas assim em grande, tipo euromilhões da nossa vida. Ou da minha, que com o mal dos outros posso eu bem.

Já tive momentos em que, sem jogar, me saiu o tal euromilhoes da vida. Quando comecei a trabalhar, por exemplo. Aquela merda, que não é assim tão diferente da de hoje, fazia-me feliz, a ponto de me causar taquicardias. Quando comecei a namorar. Nem eu, nem eles (dois e um de cada vez) tinhamos um tusto, mas eu estava tão apaixonada e tão correspondida que me sentia a pessoa mais sortuda do mundo. E era, que isto de se encontrar uma ligação e apaixonada não é para todos. A coisa não durou, assim como o dinheiro do euromilhoes também não dura sempre (mesmo que dure mais que a vida dos seus beneficiários).

E o problema deve ser esse. Devo ter gasto a minha sorte toda muito precocemente. Este ano, até agora, o momento de maior sorte que tive foi ganhar uma garrafa de vinho, num sorteio, no dia dos namorados. Putaquepariu, sorte ao jogo... Lá se foram as esperanças em dia tão fofinho

A modos que é isto. Há falta de trabalhar naquilo que gosto mesmo (há dias em que gostava de ser uma escritora brilhante, noutros enfermeira, noutros pintora e outras coisas que nunca almejei na vida, mas se é diferente do que faço, já marchava) e há falta de mouro minimimamente interessante, capaz de dizer duas palavras (já nem peço as virgulas), pelo sim, pelo não, passei a jogar no dito sorteio dos excentricos. Como li algures num facebook desta vida, o dinheiro não compra felicidade, mas compra nutella. É (quase) o mesmo.

 

2 comentários:

Cor do Sol disse...

Tao bem escrito e explicadinho. Ainda bem que voltaste a escrever :)

clara disse...

:)