domingo, 23 de março de 2014

Vivendo e aprendendo

com o tempo, vai saber tratar de um desgosto como se trata de uma gripe. vais sentir que a dor vem aí quando sentires o corpo dorido e a alma fraca, vai perceber que a fragilidade não é mais do que um estado temporário e que o cansaço é somente o corpo a pedir descanso da realidade.

Vais começar a saber sofrer, sem dramas nem ameaças, entender que é tudo temporário, acontece a toda a gente e só requer tempo e mimo. vais (e isso é muito importante, vai por mim) saber que os delírios febris são temporários, que não devem ser levados a sério nem sequer alimentados. vais conseguir, nessa altura, nesse momento em que tens vontade de virar um monstro, controlar-te e a calar-te. morder a almofada e esperar que o tempo faça efeito. o tempo e o benuron, carinho dos amigos, seja o que for, que te dirão "espera vinte minutos, já passa, a dor já passa" e passa. com o tempo vais conseguir também relativizar, já tiveste gripes piores e passaram, been there, done that, é só mais uma, é só uns dias, umas semanas, vá. vais até comparar com a ultima vez, aquela em que foi muito pior, não foi tão mau, é diferente, afinal não é.

e no rescaldo, quando desentupires, expurgares e desintoxicares, vais perceber que talvez (talvez) a culpa também pode ter sido tua. avisaram-te que o colega estava doente, para não andares com o cabelo molhado e para te alimentares como deve de ser.

E vais descobrir que estás safa disso de sentir. até o corpo doer outra vez e a alma fraquejar.

 

Roubado, descaradamente, ao Danos Colaterais

Sem comentários: