segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Depende

Confesso que tenho tido várias dúvidas sobre se devo ou não voltar a este espaço. Tenho andado meses, acho que até, talvez, um ano, com ameaças de deixar isto de vez ou voltar de vez.
Criei este blogue dois meses antes de me mudar para a Irlanda e, em muitos momentos, foi o meu porto seguro. Por outro lado, como tudo aquilo que implica uma exposição, também me deixa, muitas vezes, vulnerável, o que, em tempos idos, me trouxe algumas agruras.
Mas, aquilo que me atormenta mesmo, mesmo, é a possibilidade de voltar ao mesmo. E voltar ao mesmo tem dois lados duma mesma moeda.
Nos últimos dois meses, mudei de casa, de cidade, de entidade empregadora e de funções. Estando no mesmo país que me acolheu há 3 anos e meio (já ?), encontro-me num local totalmente diferente, a desempenhar funções que nunca tinha feito na vida e longe dos amigos que fui fazendo nos vários pontos que habitei.
Depois de um Erasmus, uma mudança para a irlanda e de, agora, uma mudança cá dentro, aprendi que quando se muda, tudo o que muda, efectivamente, é paisagem.
Mantém-se o amigos, mantém-se os valores, as competências, os traumas, asinseguranças  e os vícios. Na essêncianão  se muda. E se é bom perceber que nao estupidifiquei (conheço casos), é assustador perceber que se cometem erros uma e outra e outra vez. Que se procura o mesmo. Que se chora o mesmo.
Na minha vida académica, vários dos meus professores, o das ciênciasnão  exactas, diziam-nos que a melhor resposta para uma qualquer incógnita é um "depende". O sucesso está no desenvolvimento e no argumento.
Neste momento, é assim que se encontra o meu blogue, o meu trabalho, a minha vida. No depende. Falta o desenvolvimento.
 

2 comentários:

Maria L. disse...

Escreves tao bem. O mundo todo devia ler-te.

clara disse...

Ganhei o dia! :D