quarta-feira, 17 de setembro de 2014

O flagelo

Sempre achei interessante a forma como a natureza e o nosso próprio corpo nos conseguem enganar a mente.
Homo sapiens com pouca sapiencia quando o corpo nos traí.
Achava que estava imune a certas ideias e certos comportamentos, e acreditava que isso se devia ao facto de ser um espécimen altamente desenvolvido, em que a inteligência era de tal forma afiada, que nao havia cá engodos.
Uma convencida do pior, sem modéstias e merdas. Entendo o que se passa no corpo e na natureza e isso seria o sufiente para me tornar num ser acima da média, capaz de passar a perna a essa grande trapacieira, a natureza.
Até ao dia...
Há uns meses, achei que devia parar de tomar a pílula. Na irlanda só vendem com receita, na Irlanda, eu tenho alergias a medicamentos que em Portugal, nem beliscam e, na Irlanda, em desespero de causa, em plena crise alérgica a um antibiótico que me deixou pior que a doença, achei que já chegava de andar a meter porcaria cá para dentro, acabou-se tudo o que era bolinha química pela garganta.
E durante 6 meses a minha pacata vida e a minha tão aclamada inteligência, foram todas para o galheiro. Durante 6 meses, tive, pelo menos uma semana, de drama por mês.
De repente, achava que o mundo estava contra mim. Que as pessoas não gostavam de mim. Que se tinham dito que o dia estava bonito, me estavam a despachar. Sentia-me sozinha, sentia-me estagnada, cheguei até a sentir-me velha acabada, "a minha vida é só isto e vou ser infeliz para toda a eternidade". Sim, isto ocorreu-me.
Todas as vezes que tive este pensamento, exactamente no dia seguinte, a mae natureza dava-me sinal. E eu, invariavelmente, pensava "Ahhh, então era isto". Respirava, acalmava e ia à minha vida, "a ver se me lembro disto para o mês que vem". Mas não me lembrava e reiniciava o ciclo. Entupia os ouvidos do meu alvo amoroso, chorava na almofada, ligava às amigas para que atestassem a minha desgraça e lá vinha o que no anúncio dizem que é uma senhora com confettis. Respirava fundo e passava.
Cá por causa das coisas, voltei às 21bolinhas diárias. E a minha vida mudou. E fiquei a perceber, ainda melhor, o mundo que me rodeia e o verdadeiro flagelo deste mundo. Hormonas.

2 comentários:

Ana A. disse...

Por momentos achei que ias dizer que estavas grávida.

clara disse...

Ahahahahahah! Muito bom!