quarta-feira, 3 de setembro de 2014

This world is fucked up

Hoje, um amigo meu, escreveu, no facebook, um post, onde agradecia ao famoso hacker, que tornou as fotos pessoais da actriz Jennifer Lawrence, públicas.

Comentei o post, porque considero todo o desenvolvimento à volta desta história uma violação de privacidade enorme. Não consigo entender o entusiasmo à volta disto, quando a actriz até já aparece bastante descascada, em muitos filmes. Já me disseram que está um bocadinho mais descascada, mas, para mim, é claro que o verdadeiro interesse na coisa, é o facto de ser pessoal e permitir um voyerismo que a raça humana adora. Ninguém agradeceria fotos minhas dessa estirpe, logo, se alguém tivesse acesso ao meu telefone, não as encontraria. Mas encontraria mensagens pessoais, fotos que troco com uma amiga, só para aprovação do outfit, coisas que escrevo, screenshots de conversas, coisas que me fariam sentir nua. Ao final do dia, estas pessoas são comuns mortais, tal como nós e isto representa uma invasão cuja a dor mal consigo imaginar. Ao meu comentário, o meu amigo respondeu que, no fundo, tinha passado a ver a actriz de forma mais humana e que tudo isto resultava em publicidade positiva para a dita. Só faltava dizer que o gajo merecia um agradecimento. Só se esqueceu duma coisa, positiva, ou não, a dita publicidade teria que ser uma escolha sua. Tão simples quanto isso. Todo e qualquer ser humano tem o direito de escolha, sobretudo sobre aquilo que quer, ou não, partilhar, não importa se é actriz, empregada de mesa, blogger ou até, actriz pornográfica.

Entretanto, o cabrão que usou os seus conhecimentos informáticos para invadir quem, á falta deles, se mostrou mais vulnerável, continua a receber milhares de visitas e doacções para a sua conta paypal. Neste momento, há milhares de pessoas a contribuir para a riqueza dum gajo que ataca o mais fraco. E não me venham dizer que é a minha perspectiva e pardais ao ninho. É doente. Alguém mais forte atacou o mais fraco. E o mundo aplaude. A mim enoja-me.

Sem comentários: