segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Quem espera...

Dizem que quando não temos problemas, os inventamos. E eu devo ser perita, porque tenho, neste momento, um único problema. Não consigo escrever. Mal ou bem, com ou sem interesse para os outros, eu tenho sempre tema. Consigo sempre, desenvolver qualquer merdice.

Ontem pensei escrever sobre o meu novo lema. Mas, depois, comecei a pensar e é, realmente, uma solução fantástica. Para quem, como eu, não tem problemas.

Pensei, também, escrever, sobre como passamos a vida à espera de qualquer coisa e nos agarramos à crença que aí é que vai ser. Quando somos adolescentes, esperamos pela emancipação. Quando somos adultos, pelo fim de semana. Quando somos solteiros, pela relação. Quando estamos numa relação, pela folga. Quando não esperamos nada, esperamos pelo momento em que tenhamos algo pelo qual esperar. E enumerar as várias esperas que vejo à minha volta, seria um post pelo qual poucos esperariam que acabasse. Uma seca. Por isso, agora, o que espero é que este post de merda, sirva, como muitos outros, para desemperrar. Só para isso. Assim espero.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Estado de(o) sítio

Estou atrasada na escrita de posts para o blogue. Tenho 400 e tal post no feed, por ler. Estou atrasada nos estudos do curso que comecei a tirar. Tenho dois montes de roupa para passar a ferro e uns quantos tufinhos de pelos de cão, por aspirar. Vou jantar sopa da bimby e lasanha do lidl. Estou a mil. Estou cansada. Estou feliz.