quinta-feira, 16 de abril de 2015

Eu não te entendo

Vou te confessar uma coisa, eu nem sempre te entendo.

Não entendo as tuas decisões, as tuas escolhas, a forma como vives a vida.

Não entendo porque te isolas ou porque escolhes passar o teu tempo com pessoas com as quais não me identifico. Não entendo porque é que não fazes dieta ou porque escolhes não sair do ginásio. Não entendo porque manténs uma relação ou porque escolhes acabá-la. Nem sequer entendo porque a decides iniciar ou forçar ou reconquistar.

Porque entendendo ou não, terei sempre um abraço para te dar, um ombro para chorar ou um todo para celebrar. Porque este é o meu conceito de amizade. Identifico-me contigo em muitas outras coisas, rio-me a bom rir quando estamos bem, gosto das eras, passadas ao telefone, a analisar o que te atormenta ou te faz feliz.

Nem sempre te entendo, porque acima de tudo, não te julgo. E porque gosto de ti.

Sem comentários: